sábado, 17 de março de 2012

declaro-me refém


Há muito que a escrita me tem como refém, escondida na gruta das tormentas da inspiração e presa ao papel e à caneta. Ela não quer mais que me espremer a alma e aliviar o coração, não quer fazer um pedido de resgate nem quer um helicóptero para poder fugir do plágio em troca da minha liberdade. Não, ela quer-me aqui, presa às amarras deste vício, deste dom, desta coisa que me acompanha na vida que se chama simplesmente vontade incontrolável de escrever. Mas vai alguém perceber criaturas como nós? Criaturas que se refugiam em palavras pelo puro prazer de as libertar, porque não interessa quem lê ou se alguém lê, interessa sim que nós escrevemos. O prazer da escrita está nela mesmo, não nos óscares, não nos prémios nobel da literatura, não na quantidade de pessoas que me lê a alma e me acaricia o ego com palavras doces sobre a forma como estampo o meu engenho numa folha branca. Tudo isso é bom, tudo isso nos dá alento para não desistir de um mundo cruel como é este em que me entranhei faz já algum tempo, tudo isso nos oferece o sorrisinho de orgulho, mas não é aí que está o prazer de nos entregarmos de corpo e alma a este vício. Não é aí que está a recompensa. É aqui dentro, aqui no coração, aqui na alma, aqui não sei bem onde, mas aqui dentro, aqui onde ninguém chega. É aqui, sabem? Aqui onde mora o bichinho da escrita e de onde vem a felicidade. Bem aqui, dentro de mim, dentro de cada um de nós.

41 comentários:

  1. Que texto tão lindo! Adoro o teu blog, cada vez mais!

    ResponderEliminar
  2. linda és tu princesa<3 e gostei muito de ler o que li aqui.

    ResponderEliminar
  3. Concordo com tudo no texto e acima de tudo: SINTO-O!

    Fico feliz por teres gostado e me teres seguido *.*

    Obrigado :')

    ResponderEliminar
  4. é esse bichinho que nos mantem vivas, as pessoas que o conhecem jamais o largam. até um pequenino bloco de notas faz as nossas delicias. umas das melhores prendas que recebi este aniversário foi um caderninho encadernado pela pessoa que mo ofereceu e na primeira página dizia 'ESCREVE(-TE)'.
    eu sei que tu entendes o significado disto.
    e também entendo quando dizes que apesar de o sucesso saber muito bem e ser muito gratificante não é o primeiro objectivo. quando assim for, pois então perdemos o prazer das escrita e em vez de reféns das palavras seremos reféns de algo efémero: a fama dos ocos!

    ResponderEliminar
  5. Adoro *o*, sigo

    http://joateba94.blogspot.pt/ lê os artigos, comenta e segue se gostares :) *

    ResponderEliminar
  6. ora essa meu amor :) tens que me deixar o e-mail com que inicias sessão aqui.

    ResponderEliminar
  7. a conversa frequente no meu dia a dia é ir ou nao ir para lisboa estudar $:

    ResponderEliminar
  8. que mau :S depois de tanto tempo..
    mas força princesa, quero-te bem!

    ResponderEliminar
  9. ai eu também adoro azul amor! e por agora também não teria coragem de pintar, nem a minha mãe deixava, mas quando for mais velha :p

    ResponderEliminar
  10. Escrever é uma parte de cada um de nós, um "bichinho" - como o chamas.

    ResponderEliminar
  11. que texto tão lindo ! concordo mesmo com tudo , o que importa é expressarmos o que nos vai cá dentro :)
    segui !

    ResponderEliminar
  12. mas isso é só porque somos demasiado fracos a olhar em frente e lutar .. por culpa do medo :x

    ResponderEliminar
  13. eu acho que é melhor não...não ia fazer mesmo nada. eu pedi-lhe muitas vezes para voltar e ela continuava a ignorar-me. eu desiludi-a, não sei muito bem como ou porquê. mas desiludi. e eu sempre lhe disse que era má pessoa e que a ia magoar quando menos esperasse e..ela dizia que não. mas...lá está,eu disse.

    ResponderEliminar
  14. Podes crer que diz, é uma verdadeira frase de reflexão sobre a vida *.*

    ResponderEliminar
  15. Sim, o Guga é a principal razão :) Mas também sempre tive a ideia de não ficar cá, percebes? Caras diferentes, locais diferentes, nova rotina... :)
    Toda a gente me avisa para isso, não és só tu pequena, mas eu sinto que deva arriscar $:

    ResponderEliminar
  16. já nem sei de que falávamos (;
    desculpa ter demorado tanto a responder ;x
    logo vou postar novo texto *-*

    ResponderEliminar
  17. Ainda bem que concordas comigo, fico feliz. :')

    ResponderEliminar
  18. sim , é verdade , há amores que superam tudo :)

    ResponderEliminar
  19. Ando mesmo bem querida e tu como andas?

    ResponderEliminar
  20. obrigada coração :)
    adoro a tua escrita, mesmo q seja por quem nao merece, eu adoro!!! :)
    força linda

    ResponderEliminar
  21. Viver na imaginação, dentro do coração e do que sai dele. Já tentaste?
    Não serás tão refém assim, faz das palavras tuas companheiras e do coração o teu confessionário pessoal! :)

    ResponderEliminar
  22. Obrigado

    http://joateba94.blogspot.pt/2012/03/foste-e-nao-permaneceste.html lê, comenta e segue (:

    ResponderEliminar
  23. adorei, concordo TANTO e vejo-me neste texto :)) escrever é algo único! e quem não sente o mesmo jamais entenderá...
    sigo!

    ResponderEliminar
  24. senti o texto e a tua forma de escrever faz-me sentir na lingua uma pitada de açúcar... amei
    vou seguir-te

    ResponderEliminar
  25. Desculpa mais uma vez a demora a responder ao teu comentario. Tenho vindo ao blogue mesmo de "fugidinha" :(
    Relativamente à mensagem que ele te mandou no teu aniversario... Uma vez que estavam a falar e amigos como antes, sera que nao se passou nada com ele para te mandar aquela mensagem? Porque se estavam bem, nao tinha razoes para ser tao... indiferente...contigo e logo num dia como aquele.
    Espero que esteja tudo bem contigo... Confesso que ainda nao tive tempo de ler tudo... Esta semana tenho de por a leitura em dia dos blogues.
    beijinho grande querida e boa semana :)

    ResponderEliminar
  26. Escrever é por vezes uma fuga à realidade.
    E concordo que o devemos fazer porque nos satisfaz e não pelo reconhecimento, até porque se torna bem mais natural e verdadeiro.

    ResponderEliminar