quinta-feira, 7 de junho de 2012

e quando acabar, a culpa será nossa!


Meto a lapiseira no canto dos lábios, levanto a cabeça, desvio o olhar dos livros e pronto. Vou ter contigo. Não sei bem onde nem como mas vou, e por momentos somos só nós. Eu e tu numa dimensão diferente desta em que vivemos. Uma dimensão em que o nosso amor sobreviveu à erosão da vida, onde os cristais da amizade permanecem puros e estáveis quer à superfície, quer na profundidade do nosso ser, e do nosso coração. Uma dimensão onde ainda me consegues fazer sorrir só com o teu olhar. Sabes qual é essa dimensão? Aquela em que vivemos tanto tempo e de onde fomos teletransportados sem sequer darmos por isso. E aqui onde estamos tudo acabou, melhor... passou tudo a ser uma farsa. É isso que nós somos, não é? Uma farsa. Mantemos uma relação plástica para dizermos um ao outro que estamos aqui para o que for preciso e não passamos disso. Não passamos da costa, não metemos os pés no mar com medo de nos molharmos, não passamos a fronteira com medo do território inimigo, é não é? Não passamos do nada com medo de sermos tudo. E com isto ficamos presos por uma linha de dois fios à espera que a vida venha e a rebente. Não será difícil. Nós sabemos isso, mas não fazemos nada. Porque é mais fácil. É mais fácil fingir que está tudo bem em vez de remexer nas feridas, esclarecer assuntos e esperar que elas cicatrizem, de vez. E mesmo sabendo isto, tenho a certeza que vamos continuar assim... porque nós mudamos. Não eu e tu, mas nós. Perdemos os pózinhos de perlimpimpim. Eu acho que eles se foram com as lágrimas. E se foram, não voltam. Assim como o amor, depois de morrer.

21 comentários:

  1. obrigada por tudo o que tens feito por mim, tens sido espectacular amor <3

    ResponderEliminar
  2. disso podes ter a certeza, podes contar comigo sempre, mesmo <3

    ResponderEliminar
  3. está muito bonito *-*
    é para o andré?

    ResponderEliminar
  4. é fantástico como tu, mesmo com um tema tão triste, és capaz de escrever algo tão fantástico. i'm here for you, always <3

    ResponderEliminar
  5. Penso que o amor é um risco a ser percorrido, em cada detalhe, não nos deixando escapar entre os dedos - o que pode ser ainda mais perigoso do que arriscar-se.
    Menina, como gostei daqui! E voltarei. Abraços!

    ResponderEliminar
  6. Olá, mudei de blog. Estava um pouco farta do outro, pois muitas pessoas seguiam-me para terem seguidores. E eu não gosto disso, por isso decidi fazer um novo. Se resolveres seguir, comenta para poder seguir-te a ti também (:

    ResponderEliminar
  7. já não vinha aqui há TANTO tempo querida! como é que estás? (:

    ResponderEliminar
  8. entendo onde queres chegar, é complicado quando assim é s:

    ResponderEliminar
  9. Então acho que ele está confuso e não sabe o que fazer. Tanto fica como vai. E embora não te queira magoar, acaba por fazê-lo. E acho que tens amor próprio e não podes pensar apenas nele mas sim em ti, no teu bem-estar. Porque tu estás a sofrer muito mais no meio disto tudo.
    Muita força princesa <3

    ResponderEliminar